VEXAME

Copa do Brasil acaba para Fluminense após ser massacrado pelo Atlético -GO

Publicados

em

Foto: Atlético Oficial

Fluminense apresentou vários erros na defensiva e acabou sendo castigado com derrota para o Atllético – GO de 3 a 1,  no Estádio Olímpico, nesta quinta-feira, e foi eliminado na quarta fase da competição.

Com o resultado, a equipe de Vagner Mancini, que tinha desvantagem devido ao revés de 1 a 0 no Maracanã, se classificou para as oitavas de final e embolsa R$ 2,5 milhões de premiação. Os tricolores se voltam agora para o Brasileiro: na próxima segunda-feira, duelam com o Coritiba, às 20h, no Nilton Santos.

A etapa inicial foi cheia de apuros para o Fluminense. Bem encaixado e depositando suas fichas em investidas pelos lados, o Atlético-GO abria caminho pelos lados e levava perigo. Janderson serviu e Marlon Freitas finalizou rente à trave. Pouco depois, a situação tricolor ficou ainda mais preocupante no Estádio Olímpico: Gustavo Ferrareis abriu brecha, passou como quis pela esquerda e fez o cruzamento. Muriel interveio, mas a soltou a bola nos pés de Chico, que marcou seu primeiro gol com a camisa do Dragão.

A equipe de Vagner Mancini continuou a dominar as ações diante de um adversário atordoado. Com forte marcação na saída de bola tricolor, o Dragão continuou a causar calafrios. Marlon Freitas arriscou de longe e, após desvio em Edson, Muriel teve de se desdobrar para evitar o segundo gol. Chico apareceu nas costas de Calegari e serviu Hyuri, em chance que foi travada por Egídio. Ferrareis ainda teve nova chance em cabeceio que passou perto da trave.


O Tricolor das Laranjeiras aos poucos foi se encontrando, mas era pouco inventivo e esbarrava na lentidão ao tentar furar o forte bloqueio do Atlético-GO. Os lampejos da equipe vinham em cruzamentos dos pés de Calegari. Michel Araújo e Luiz Henrique foram alguns dos jogadores que esbarraram na defesa adversária. Mas o panorama mudou em uma grande “cartada” do Tricolor das Laranjeiras: a bola aérea. Após escanteio cobrado por Egídio, Luccas Claro surgiu entre os zagueiros para estufar a rede.

  Flamengo realiza último treino antes do jogo da volta contra o Coritiba, pela Copa do Brasil

Na volta do intervalo, o Atlético-GO continuou a cercar os tricolores. Janderson abriu caminho, mas Hyuri dormiu no ponto na hora de concluir. Muriel ainda levou sustos em falta cobrada por Nicolas, finalização de Junior Brandão e em jogada na qual Janderson arriscou da direita por cima do travessão.

Retraído, o Fluminense apostava nos contra-ataques, mas pecava no último passe e seguia lento. Em um raro momento promissor, Fernando Pacheco encontrou um clarão pela esquerda e esticou a Nenê. O camisa 77 serviu Felippe Cardoso, que limpou a marcação, mas mandou por cima do travessão.

Foto: Jogadores vibrando com a vitória Atlético Oficial

O Atlético-GO viu seu ímpeto abrir caminho para a classificação na Copa do Brasil. Janderson chutou de longe e Muriel espalmou para o meio da área. Na sobra, Marlon Freitas bateu com raiva para a rede aos 33 minutos.

A reta final foi marcada por um jogo franco. Matheus Vargas teve conclusão salva por Luccas Claro. Aos 44, Nenê abriu caminho na área, mas sua finalização saiu mascada para a zaga. Três minutos depois, o Dragão deu seu golpe de misericórdia no Fluminense. Matheuzinho avançou como quis pela esquerda e cruzou para a área. Matheus Vargas surgiu livre e carimbou a vaga aos 47. Os tricolores, após uma partida muito fraca, davam adeus à Copa do Brasil.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Atlético-MG

Com a Massa e com a taça

Publicados

em

E o Galo? O Galo Ganhou! Diante do Mineirão lotado, o Atlético venceu o Red Bull Bragantino por 4 a 3 na tarde deste domingo, dia 5, em partida válida pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Jogo marcou a entrega do troféu de Campeão Brasileiro, que foi levado até o campo pelo ídolo e autor do gol do título Brasileiro de 1971, Dadá Maravilha.
Os 61.573 presentes estabeleceram um novo recorde de público no novo Mineirão e puderam assistir o show do artista português Pete Tha Zouk, um dos DJ mais consagrados da Europa. Houve, também, um mosaico especial, show pirotécnico, distribuição de estrelas amarelas, homenagem a Atleticanos ausentes e também a ex-atletas dos times de 1971, 1977, 1980, 1985 e 1999, que entraram em campo pouco antes do início da partida.
O jogo
As equipes começaram a partida se estudando e trocando passes curtos. A primeira oportunidade foi do time de Bragança, após o cruzamento de Jadsom desviar na defesa e quase enganar o goleiro Everson.
Na primeira boa chance do Galo, aos 20 minutos, Keno avançou pelo meio com espaço deixado pela marcação. O atacante bateu colocado para abrir o marcador. 1 a 0!
O time visitante chegou ao empate com Ytalo. O jogador completou rebote de Everson para igualar o placar.
Segunda etapa
No primeiro minuto da etapa complementar, o Bragantino virou o jogo. Após cobrança de escanteio, Artur pegou de primeira para fazer o segundo gol dos visitantes.
Não demorou para o Galo buscar o empate. Aos 6 minutos, Keno arrancou em velocidade pela esquerda e rolou para Zaracho estufar a rede do goleiro Cleiton.
Por pouco a virada não veio em uma bomba de Allan de fora da área. A bola, caprichosamente, explodiu na trave.
Aos 32 minutos, Savarino não desperdiçou. Zaracho recebeu de Hulk e cruzou forte para o venezuelano completar de cabeça para o fundo do barbante. Galo 3 a 2!
O artilheiro o Brasileirão também deixou o dele. Hulk recebeu na intermediária, ganhou do zagueiro no jogo de corpo e, frente a frente com o goleiro, deu uma cavadinha para marcar o 19° gol no torneio.
A massa entoava o grito de “bicampeão” a plenos pulmões, quando o Bragantino descontou com Artur. Não fez diferença. O Galo ganhou mais uma e fez a festa de campeão diante da torcida mais engajada do Brasil.
FICHA TÉCNICA
Atlético 4 X 3 Red Bull Bragantino
Competição: Campeonato Brasileiro
Rodada: 37
Data: 05/12/2021
Estádio: Mineirão – (MG)
Público: 61.573
Renda: R$ 8.818.854,25
Gols: Keno – 20′ 1° tempo; Zaracho 7′, Savarino 33′, Hulk 43′ – 2° tempo (Atlético) – Ytalo 39′ – 1° tempo; Artur 2′ e 55′ – 2° tempo (Red Bull Bragantino)
Atlético: Everson; Mariano, Nathan Silva (Réver), Alonso, Arana, Tchê Tchê (Allan), Jair (Allan Franco), Zaracho, Nathan (Savarino), Keno e Diego Costa (Hulk).
Técnico: Cuca
Bragantino: Cleiton; Aderlan, Fabrício Bruno, Natan, Luan Cândido, Jadsom, Emi Martínez (Tubarão), Artur, Helinho, Ytalo (Praxedes) e Cuello (Alerrandro).
Técnico: Maurício Barbieri
Cartões amarelos: Hulk (Atlético); Artur e Helinho (Bragantino)
Árbitro: Rodolpho Toski Marques FIFA PR
Árbitro Assistente 1: Bruno Boschilia FIFA PR
Árbitro Assistente 2: Sidmar dos Santos Meurer AB PR
Quarto Árbitro: Savio Pereira Sampaio AB DF
Árbitro de Vídeo: Wagner Reway VAR-FIFA PB
AVAR: Oberto da Silva Santos AB PB
Observador de VAR: Cleidy Mary dos Santos Nunes Ribeiro CBF SC
fonte: https://atletico.com.br/noticias/com-a-massa-e-com-a-taca
COMENTE ABAIXO:
  Galo inicia treinos para enfrentar o Flamengo
Continue lendo

FLAMENGO

CORINTHIANS

SÃO PAULO

PALMEIRAS

MAIS LIDAS DA SEMANA