libertadores

Abel Ferreira analisa atuação do Palmeiras após classificação para a fina da Libertadores

Publicados

em

Apesar de ser superado pelo River Plate-ARG por 2 a 0, nesta terça-feira (12), no Allianz Parque, o Palmeiras se classificou para a grande final da Conmebol Libertadores – o primeiro encontro entre as equipes, na Argentina, terminou 3 a 0 para o Verdão. Após a classificação, o técnico Abel Ferreira analisou o rendimento de seus comandados.

“Este jogo era muito mental. Se o Rony faz o gol na primeira bola, matávamos o nosso adversário definitivamente. Nós fizemos três gols lá (na Argentina), mas poderíamos ter feito quatro ou cinco, e aí teríamos matado a eliminatória. Tivemos de sofrer e conseguimos esta qualificação muito pelo jogo que fizemos na Argentina. No primeiro jogo, nós fomos muito superiores, e hoje o nosso adversário foi superior a nós. Hoje o que fez a diferença foi o fator psicológico”, declarou o treinador, valorizando o atual momento do clube na temporada.

“Quando você treina grandes clubes, você fica mais próximo de ganhar títulos. Quando eu aceitei o desafio de vir ao Palmeiras, sabia que o Palmeiras dava todas as condições de lutar por títulos. Nós estamos em duas finais e, no Campeonato Brasileiro, iremos grão a grão para encher o nosso bolso e, no fim, ver o que nos reserva. Eu não penso muito nisso, quero desfrutar agora as 24 horas, valorizar esta final que foi muito suada. Parabéns aos meus jogadores, são verdadeiros guerreiros com todas as dificuldades”, concluiu.

  Com Gómez em campo, Palmeiras treina para duelar com Internacional

O próximo compromisso do Palmeiras será na sexta (15), às 21h30, contra o Grêmio, no Allianz Parque, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro. Já na segunda (18), às 19h, o Verdão encara o Corinthians, novamente na arena palestrina, pelo Nacional.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

libertadores

Santos vence o Boca Juniors e final da Libertadores será entre brasileiros

Publicados

em

o ano de 2011, o Santos FC disputou a sua última final de Conmebol Libertadores até então, e conquistava o seu 3º título da competição mais importante das Américas. Dez anos depois, o Alvinegro de Vila Belmiro está novamente em uma final continental, e irá em busca do Tetracampeonato, para se tornar isoladamente, o time brasileiro com mais conquistas na Libertadores.

Na noite desta quarta-feira (13), o time santista venceu o Boca Juniors, tradicional equipe argentina, por 3 a 0, com certa facilidade. Diego Pituca marcou o primeiro na primeira etapa, e Soteldo e Lucas Braga completaram o marcador no segundo tempo.

O Santos FC vai disputar sua 5ª final de Conmebol Libertadores. Em 1962, 1963 e 2011, o Peixe ficou com a Taça mais cobiçada das Américas, e apenas em 2003, ficou com o vice-campeonato. O adversário do Peixe na grande final, no dia 30 de janeiro no Maracanã, será o Palmeiras.

Como no primeiro jogo, o Peixe atuou melhor que o Boca Juniors, e hoje, a brilhante atuação resultou nos três gols. Uma jornada inesquecível do time da Vila Belmiro. Dominou a equipe argentina durante os 90 minutos, e não deu em nenhum momento, a chance deles sonharem com a classificação. O sonho do Tetra foi mantido, e está mais vivo do que nunca!

O jogo
O Santos começou a partida pronto para marcar um gol. Pressionou desde o primeiro apito do árbitro, e logo a um minuto, já acertou a trave em chute forte de Marinho. No rebote, Diego Pituca mandou para fora.

  Com um jogador a menos, Inter empata de 0 a 0 e perde a liderança do Grupo E

Três minutos depois, novamente Marinho arrisca um chute de fora da área, dessa vez, em cobrança de falta, e o goleiro defende.

Aos 11 minutos, Soteldo cruza na primeira trave, e Kaio Jorge desvia de calcanhar e ninguém aparece para finalizar.

A pressão fez efeito aos 15. Soteldo na entrada da área chuta em cima da zaga argentina, e a bola sobra para Diego Pituca, que bate no canto sem chances para o arqueiro. É o primeiro gol do volante na competição, e o 8º com a camisa do Peixe.

Aos 18 minutos, Felipe Jonatan cruza na área e a bola passa com perigo próxima a trave.

E o Peixe não deu sossego para o Boca Juniors. Kaio Jorge aos 26 minutos puxou rápido contra-ataque, e por muito pouco não sai cara a cara com o goleiro. O atacante santista foi parado com falta.

Diego Pituca abriu o placar para o Peixe! (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

Faltando dois minutos para o fim do tempo regulamentar, Marinho cobrou falta com extrema força, e obrigou o goleiro espalmar para longe. No ataque seguinte, Kaio Jorge bate colocado, a bola novamente passa muito perto.

A primeira etapa terminou com enorme superioridade do Peixe. Foram 11 chutes no total do Alvinegro, contra apenas um de seu adversário.

Os comandados de Cuca voltaram do intervalo e mantiveram a mesma pressão. Aos três minutos, Soteldo recebeu bola na entrada da área, e mostrando toda sua categoria, chutou no ângulo, sem chances para o goleiro, para marcar o segundo do Peixe na partida. O camisa 10 marcou seu 2º na Conmebol Libertadores, e o 18º pelo Santos.

  Weverton integra os Top 10 de goleiros com mais jogos na história

Dois minutos depois, o Alvinegro da Vila Belmiro tratou de acabar com a partida. Marinho receba na direita, entorta a marcação e cruza para Lucas Braga, fazer o terceiro do Peixe e não dar mais nenhuma chance de reação para o adversário. É também o 2º dele na Libertadores, e o 3º com o manto santista.

Aos 10 minutos, Fabra deu entrada criminosa em Marinho, e levou o cartão vermelho direto.

Mais uma vez João realizou uma ótima partida! (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

A partir da expulsão, o Peixe cadenciou a partida, e teve ainda mais controle do jogo.

Aos 23 minutos, quase Marinho marca o quarto gol, após se livrar da marcação na entrada da área. Três minutos depois, João Paulo realizou a grande defesa da partida, em jogada de puro reflexo após cabeçada de Villa. O arqueiro do Peixe voltou a ser titular após John testar positivo para a Covid-19, e realizou mais uma vez, uma ótima partida, com muita segurança embaixo das traves.

Dez minutos depois, Madson também perdeu a chance de marcar o quarto gol após puxar rápido contra-ataque.

O árbitro sinalizou seis minutos de acréscimos, e foi só aguardar para comemorar a classificação para a grande final.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

FLAMENGO

CORINTHIANS

SÃO PAULO

PALMEIRAS

MAIS LIDAS DA SEMANA