Bragantino

Palmeiras vence o Bragantino de 3 a 1 na primeira etapa da Copa do Brasil

Publicados

em

Campeão em 1998, 2012 e 2015, o Palmeiras iniciou a busca pelo seu quarto título da Copa do Brasil na noite desta quinta-feira (29), diante do Red Bull Bragantino, no Estádio Nabi Abi Chedid (em Bragança Paulista-SP). Com gols de Raphael Veiga, Wesley e Luiz Adriano, todos no priemeiro tempo, o Verdão venceu por 3 a 1 – o Bragantino descontou aos 37 do segundo tempo, com Hurtado. Com isso, o Alviverde saiu na frente pela vaga nas quartas de final do torneio nacional – o jogo de volta acontece na próxima quinta-feira (05/11), no Allianz Parque, às 19h.

Com o triunfo, o Verdão embalou três vitórias seguidas, todas sob o comando do técnico Andrey Lopes. Além do resultado favorável desta noite, o Alviverde já havia batido o Tigre-ARG, por 5 a 0, pela Libertadores, em casa, na quarta-feira passada (21) e o Atlético-GO fora de casa, pelo Brasileiro, por 3 a 0, no último domingo (25).

O auxiliar fixo da comissão técnica Andrey Lopes, aliás, merece ter seus números destacados. Chegou a seis jogos, com cinco vitórias e apenas uma derrota no comando palmeirense, com 18 gols marcados e quatro sofridos. Foram dois jogos em 2019 – os últimos dois da temporada após a saída de Mano Menezes: vitórias sobre o Goiás (5 a 1 no Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas-SP, como mandante) e 2 a 0 sobre o Cruzeiro no Mineirão – jogo que rebaixou o rival do estado vizinho. Em 2020, foram quatro duelos; antes desse, dirigiu o time frente o contra o Fortaleza, em 18/10, pelo Brasileiro (revés por 2 a 0 fora de casa), e os já citados contra o Tigre-ARG, em 21/10, pela Libertadores (vitória por 5 a 0 em casa), e Atlético-GO, em 25/10, também pelo Brasileiro (vitória 3 a 0 em Goiânia).

Algo incomum também aconteceu na noite desta quinta-feira. Com os três gols no primeiro tempo, o Alviverde contrariou uma lógica da temporada: antes de o jogo começar, 72,58% dos gols palmeirenses em 2020 saíram no segundo tempo, fato que marcou o Palmeiras por ser muito mais eficiente na etapa final – até então, dos 62 gols marcados pelo clube, 45 haviam saído no segundo tempo, enquanto apenas 17 gols (ou seja, 27,42%) aconteceram nos primeiros 45 minutos.

A última vez em que o Palmeiras fez três gols em um primeiro tempo, aliás, faz mais de um ano. Aconteceu em 26/09/2019, quando o Verdão recebeu a equipe do CSA-AL no Pacaembu, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro e goleou por 6 a 2, sendo os quatro primeiros nos 45 minutos iniciais. Os gols daquele duelo foram anotados por Luiz Adriano, duas vezes, Willian, Bruno Henrique, duas vezes, e Gustavó Gómez.

Em decorrência do resultado desta noite, alguns bons números do Palmeiras na temporada foram mantidos, como o fato de ser o dono da melhor defesa do Brasil como visitante, levando em conta todos os participantes da Série A do Brasileirão e todos os seus respectivos jogos realizados no ano de 2020: foram 13 gols sofridos em 20 partidas – exceto amistosos –, o que rende ao time palmeirense a baixa média de 0,65 gol sofrido por duelo, seguido pelo Grêmio, com 0,71 (15 em 21).

  Verdão realiza segundo treino tático antes do confronto com o Atlético-GO

No geral da temporada, a média de 0,75 gol sofrido por partida (30 gols em 40 jogos de campeonato, sem contar torneios amistosos) coloca o Verdão na segunda posição entre os clubes brasileiros com menor índice de gols sofridos no ano – antes aparece o Fortaleza, com 0,72 (29 gols em 40 jogos).

E pelo fato de sofrer poucos gols, o Palmeiras, consequentemente, perde pouco. É esse um dos motivos de possuir o segundo menor índice de derrotas entre todos os clubes em 2020. Ainda dentro do critério de clubes da Série A do Brasileiro e todos os seus jogos em 2020 (por qualquer competição), o Verdão ocupa o segundo lugar na lista dos que têm menos reveses, com seis derrotas em toda a temporada (40 jogos, sem amistosos), atrás apenas do Flamengo, com cinco, e possui também o segundo com o menor percentual (15% – seis revezes em 40 jogos – contra 11,3% do primeiro colocado Flamengo – cinco em 44).

Até o tropeço diante do Botafogo, no início do mês, o Palmeiras vinha de 20 jogos sem perder, registrando a maior invencibilidade do clube nos últimos oito anos e a terceira maior série invicta de um time a partir da estreia em uma edição de pontos corridos do Campeonato Brasileiro, com 12 partidas seguidas sem derrota, atrás apenas do Flamengo de 2011, com 15, e do Corinthians de 2017, com 19.

Outro fato que merece destaque em decorrência dessa partida foi um recorde atingido pelo time palmeirense: a equipe alcançou o recorde do século em utilização de estreantes da base. Ao todo, considerando também os atletas que estão efetivados no plantel principal, oito Crias da Academia estrearam pelo Palmeiras em 2020. Na ordem, foram a campo Patrick de Paula, Gabriel Menino, Wesley, Alan (hoje emprestado ao Guarani), Angulo (emprestado ao Cruzeiro), Gabriel Silva, Danilo e Renan. Juntos, eles somam 104 jogos e já fazem desta a temporada em que o Palmeiras mais colocou jovens estreantes da base para atuar na década, superando as 76 partidas de oito pratas da casa debutantes em 2014 – e agora passa a ser a do Século também, superando 2010, que teve 103 jogos de 11 estreantes da base – isso se deve pelo fato de Gabriel Menino e Wesley terem atuado na noite de hoje.

  Palmeiras faz treino tático e ensaia jogadas visando primeira final do Campeonato Paulista

CURIOSIDADE: PALMEIRAS EM MATA-MATA DE COPA DO BRASIL

Esta é a 25ª participação do Palmeiras na Copa do Brasil. A primeira foi em 1992, quando chegou às semifinais. Em 1996, alcançou as finais pela primeira vez e ficou com o vice. Em 1998, 2012 e 2015, sagrou-se campeão. E em 2019, assim como neste ano, estreou nas oitavas de final, superou o Sampaio Corrêa com triunfos na ida e na volta e foi eliminado nas quartas pelo Internacional, no Beira-Rio, em cobranças de pênaltis.

Ao longo das 25 participações, o Alviverde disputou um total de 81 confrontos eliminatórios ou valendo o título, alguns em jogo único e a maioria em partidas de ida e volta. Em 60 ocasiões, obteve a classificação (ou levantou a taça), ficando pelo caminho (ou com a medalha de prata) 21 vezes.

Especificamente nas oitavas de final, o Verdão já participou de 22 duelos, conseguindo passar de fase em 16 oportunidades (1992, 1993, 1996, 1997, 1998, 1999, 2000, 2004, 2010, 2011, 2012, 2015, 2016, 2017, 2018 e 2019), sendo eliminado em seis (1994, 1995, 2003, 2008, 2013 e 2014).

Atuando como visitante na Copa do Brasil, o Palmeiras disputou 82 jogos já com este e tem retrospecto favorável de 37 vitórias, 22 empates e 23 derrotas, balançando as redes adversárias 125 vezes e sendo vazado 91.

ATAQUE EM BOA FASE: 11 GOLS NOS ÚLTIMOS TRÊS JOGOS

Em suas três partidas mais recentes, o Palmeiras anotou um total de 11 gols, registrando ótima média de 3,67 tentos por duelo: na quarta-feira passada (21), no Allianz Parque, venceu o Tigre-ARG por 5 a 0 pela Libertadores, com gols de Raphael Veiga, Gustavo Gómez, Zé Rafael, Gabriel Veron e Rony; no domingo (25), em Goiânia, superou o Atlético-GO por 3 a 0 pelo Brasileirão, com gols de Wesley e Luiz Adriano, duas vezes; e nesta noite bateu o Red Bull Bragantino, pela Copa do Brasil, em Bragança Paulista-SP, por 3 a 1, com gols de Raphael Veiga, Wesley e Luiz Adriano.

No total das 42 partidas do ano, em apenas nove o Verdão passou em branco no placar. Desde a conquista do título paulista sobre o Corinthians, foram disputados 23 jogos (sendo 17 de Brasileiro e quatro de Libertadores, um de Copa do Brasil – este –, além da decisão estadual), e a equipe só não marcou gol em três (contra o Guaraní-PAR, empate pela Libertadores, e diante de São Paulo e Fortaleza, derrotas pelo Brasileiro). Neste período, balançou as redes 38 vezes, média de 1,65 por jogo.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Bragantino

Fluminense empata com o Bragantino e soma ponto fora de casa

Tricolor segue invicto nesta edição e embala sequência de 12 jogos sem perder no Brasileirão

Publicados

em

Por

Neste domingo, Fluminense foi novamente à Bragança Paulista enfrentar o Bragantino, dessa vez pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro. Após conquistar a vaga nas oitavas de final da Copa do Brasil contra a equipe paulista, o Fluminense conseguiu trazer mais um ponto de São Paulo. Mesmo sofrendo dois gols no quinto e nos acréscimos do primeiro tempo, com Lucas Evangelista e Ytalo, o Tricolor se organizou e buscou o jogo, conseguindo o empate com Caio Paulista e Abel Hernández, já nos acréscimos. O Fluminense segue invicto na competição e mantém uma sequência de  12 jogos sem perder.

Seja Sócio e receba conteúdos exclusivos, além de ter descontos em vários parceiros. Faça o Fluminense mais forte e escolha um plano agora!

 

Primeiro tempo

Aos quatro minutos, Lucas Evangelista e Ytalo tabelaram na entrada da área, mas Egídio cortou bem na cobertura. No lance seguinte, uma saída errada do Fluminense, Lucas Evangelista recebeu do Ytalo, com espaço, chutou forte, de fora da área, para marcar 1 a 0 Bragentino. Aos 12, o Fluminense pressionou a saída de bola e Yago Felipe recebeu a falta na disputa de bola. David Braz bateu na barreira. Aos 15, Abel fez boa jogada pela esquerda e ficou com o escanteio. Após duas cobranças seguidas, a bola ficou com Yago na direita, que cruzou com perigo, mas a zaga cortou. Fluminense se firmou no campo de ataque. Aos 25, Aderlan tentou um chute forte, por cima do gol de Marcos Felipe. Aos 39, Egídio cobrou escanteio pela direita e a cabecada de Paulo Henrique Ganso explodiu no travessão. Aos 40, Luiz Henrique deu passe para o Ganso que aciounou o Caio Paulista no comando, que chutou com desvio. Nos acréscimos, Ganso, Caio Paulista e Abel Hernández tabelaram e mas o último passa foi longo demais, quando Caio entrava sozinho. Na sequência, contra-ataque rápido, Ytalo achou Artur, cara a cara com Marcos Felipe, que só completou para fazer 2 a 0.

  Tiago Nunes retorna e começa a encaminhar Tricolor para decisão na Copa do Brasil

Segundo tempo

Em menos de um ninuto, a primeira chegada, com Ganso, Caio e Yago, mas a finalização foi cortada em escanteio. Na sequência, Abel tocou no centro e Yago chutou forte, por cima do gol. Aos três, Egídio cobrou falta na área e Abel cabeceou na trave. O bandeirinha deu impedimento. Aos nove, saída de bola errada do Bragantino, Caio Paulista recuperou e acionou Abel Hernández que finalizou para a defesa do goleiro Cleiton. Aos 10, Claudinho tentou de longe e a bola desviou em escanteio. Aos 20, Caio Paulista acionou Bobadilla, que tentou driblar o goleiro e foi derrubado. Na sobra, Abel chutou por cima. Vuaden ouviu o VAR e mandou o jogo seguir. Aos 22, Yago chutou de longe para a defesa de Cleiton. Na sequência, mais um erro na saída de bola deu mais uma oportunidade de finalização com Claudinho, que cavou por cima do travessão. Aos 29, Egídio cruzou, Kayky matou e passou para Caio Paulista que finalizou, com desvio para escanteio. Na cobrança, Bobadilla desviou e o próprio Caio Paulista marcou para Flu. No placar, 2 a 1. Aos 40, Calegari salvou a finalização do Claudinho na marca do pênalti. Aos 46, Yago lutou pela bola, Kayky tocou no Nene que chutou forte. A bola foi bloqueado pelo Fabrício Bruno com o braço. Pênalti marcado para o Fluminense. Abel Hernández cobrou e marcou para o Fluminense. Tudo igual em Bragança Paulista, 2 a 2.

  Após temporada vitoriosa, Rony comemora conquista de vestir a camisa 7 do Palmeiras

FICHA TÉCNICA
Campeonato Brasileiro – 3ª rodada
13/06/2021, 20h30
Nabi Abi Chedid

RB Bragantino (2)
Cleiton; Aderlan, Léo Ortiz, Natan (Fabrício Bruno) e Luan Cândido (Weverson); Jadsom Silva (Raul), Lucas Evangelista e Claudinho; Artur, Ytalo (Ligger) e Helinho (Cuello). Técnico: Maurício Barbieri.

Fluminense (2)
Marcos Felipe; Samuel Xavier (Calegari), Nino (Manoel), David Braz e Egídio; Wellington (Nene), Yago e Ganso (Raúl Bobadilla); Caio Paulista, Luiz Henrique (Kayky) e Abel Hernández. Técnico: Roger Machado.

Gols: Lucas Evengelista (5′ – 1T) e Artur (47′ – 1T) (RBB); Caio Paulista (30′ – 2T) e Abel Hernández (49′ – 2T) (FLU)

Cartões amarelos: Natan, Jadsom e Lucas Evangelista (RBB); Luiz Henrique e Roger Machado (FLU)

Arbitragem: Leandro Pedro Vuaden (RS/CBF) auxiliado por Jorge Eduardo Bernardi (RS/CBF) e José Eduardo Calza (RS/CBF).

Fotos: Mailson Santana/FFC

Fonte: https://www.fluminense.com.br/noticia/fluminense-empata-com-o-bragantino-e-soma-ponto-fora-de-casa

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

FLAMENGO

CORINTHIANS

SÃO PAULO

PALMEIRAS

MAIS LIDAS DA SEMANA